9 de dez de 2009

Shout

Pq gritar é dahora demais... não é a toa que estava sem voz ontem.

6 de nov de 2009

Fim de semana

Apesar dos programas já marcados por aqui, tava afim de sair de Campinas.
Talvez Ubatuba... quem sabe ir mesmo se não tiver parceria.

Não sei, só deu vontade de ir.

5 de nov de 2009

Learning to live [2]

There was no time for pain
No energy for anger
The sightlessness of hatred slips away
Walking through winter streets alone
He stops and takes a breath
With confidence and self control

I look at the world and see no understanding
I'm waiting to find some sense of strength
I'm begging you from the bottom of my heart to show me understanding

I need to live life
Like some people never will
So find me kindness
Find me beauty
Find me truth
When temptation brings me to my knees
And I lay here drained of strength
Show me kindness
Show me beauty
Show me truth

The ways that your heart sounds makes all the difference
It's what decides if you'll endure the pain that we all feel
The way that your heart beats makes all the difference
In learning to live
Here before me is my soul
I'm learning to live
I won't give up
Till I've no more to give

29 de out de 2009

Preocupar-se

"Há apenas duas coisas com que você se deve preocupar: se você está bem ou se está doente. Se você está bem, não há nada com que se preocupar. Se está doente há duas coisas com que se preocupar: se se vai curar ou se vai morrer.
Se você se vai curar não há nada com que se preocupar. Se vai morrer , há duas coisas com que se preocupar: se vai para o céu ou se vai para o inferno.

Se vai para o céu não há nada com que se preocupar. Agora se for para o inferno vai estar tão ocupado cumprimentando os velhos amigos que nem terá tempo de se preocupar.

Então para que se preocupar?"

Autoria desconhecida

23 de out de 2009

Stay



We were walking
Just the other day
It was so hot outside
you could fry an egg
Remember you were talking
I watched as sweat ran down your face
Reached up and I caught it at your chin
Licked my fingertips

We were just wasting time
Let the hours roll by
Doing nothing for the fun
A little taste of the good life
Whether right or wrong
Makes us want to stay, stay, stay, stay, stay for a while.

Then later on the sun began to fade
Then the clouds rolled over head
And it began to rain
Oh, we were dancing mouths open
Splashing tongue taste
For a moment this good time would never end
You and me
You and me
Just wasting time
I was kissing you,
You were kissing me love
From good day into the moonlight
Now a night so fine
Makes us wanna stay, stay, stay, stay, stay for awhile.


Makes you wanna... (two times)
Makes me wanna... (two times)
Don't it make you wanna?

Wasting time
I shall miss this thing
When it all rolls by
What a day...
Wanna stay, stay, stay, stay, stay here for awhile.

Hey love
Oh just groping you
Rolling in the mud
Stay a while
Come on love
Wanna stay, stay, stay, stay, stay for awhile

Makes me wanna, makes me wanna stay...

Make you wanna stay...don't it?

18 de set de 2009

Você já fez alguém sorrir hoje?



Já colocou um sorriso no rosto de alguém hoje?
Já foi mais simpático do que precisava?
Já falou um MUITO OBRIGADO para alguém que apenas fazia obrigação em atendê-lo?

Quando você tromba com uma pessoa de cara fechada, ou com cara de desanimada no trabalho e quando você faz questão de ser simpático a pessoa faz uma certa cara de espanto e solta aquele leve sorriso.
Eu estava viajando no assunto e pensando o quão benéfico pode ser um único gesto de simpatia no final de um dia, ou de um mês.

A viagem começou pensando na atendente de caixa do supermercado que eu fui: a moça tava com uma cara de cansada, uma cara de saco cheio e aquele olhar de "lá vem mais um...". As vezes a pessoa tem um trabalho do qual ela não gosta, que não a desafia e não a faz crescer em nenhum aspecto, mas o que mais torna o trabalho maçante é que, além disso, muitas das pessoas que passam por ela são mal educadas ou simplesmente indiferentes a ela... e aí eu pensei que, talvez, se cada um que passasse por ela fosse simpático o suficiente, mesmo se ela não sentir que o que ela tá fazendo é importante, pode fazer o trabalho dela ser muito mais agradável. A partir daí o pensamento se extendeu para uma reação em cadeia, onde ela lembraria das pessoas que foram simpáticas com ela e passaria a ser "excessivamente simpática" com outras pessoas com quem ela poderia ser indiferente.
Se isso então for extendido para o trânsito, melhor ainda. Tente dar passagem para outros carros ao invés de acelerar para ele "não roubar seu lugar" na fila do sinal fechado. Ponha o braço para fora e agradeça quando fizerem o mesmo por você.

Essa benígna bola de neve pode começar com um único "MUITO OBRIGADO", pois mesmo que ela tenha recebido vários clientes indiferentes, ela pode lembrar daquele único que foi simpático e fazer igual. E no final do dia a sensação é muito boa pra quem o fez também... a sensação de ter colocado tantos sorrisos em rostos alheios quanto possível.

Mas e aí? Quantos sorrisos você já "extraiu" hoje?

1 de set de 2009

...back again



"1, 2, 3, 4, 5... let's go for a ride. 6, 7, 8, 9, 10... let's go there and back again"
(Paul McCartney)


I went "there", now it's time to go back again.

31 de ago de 2009

Um sábado e um finger.



Eu fiz o "sanduíche" de chapas de metal, pois tinha a viga e não queria furá-la, mas pode ser feito do mesmo jeito fixando na parede.
É só substituir as chapas e barras roscadas por 4 bolts.

INGREDIENTES:
Placa:
Uma placa de compensado 90 x 45cm
4 chapas de ferro de 25 x 5cm com 2 furos de 3/8' nas pontas
2 barras roscadas de 25cm e bitola 3/8'
8 arruelas e 8 porcas para as barras roscadas
2 ripas de 25 x 5 x 2cm (para usar de calço entre a placa e a "parede", nesse caso a viga)

Regletes:
2 ripas de compensado de 45 x 5 x 1,5cm (juntas para fazer um reglete de 3cm)
1 ripa de compensado de 45 x 5 x 2cm
1 ripa de compensado de 45 x 5 x 1cm
4 parafusos, 4 porcas e 8 arruelas para cara reglete

furadeira
1 broca de madeira 3/8'
1 broca de madeira do tamanho dos parafusos menores
cola branca
4 long necks de Brahma (ou outra cerveja de sua preferência)




MODO DE PREPARO:
Abra uma long neck e tome goles durante o processo.
Distribua os 3 regletes igualmente espassados no centro da placa e faça 4 furos em cada ripa atravessando elas e a placa. Fixe-as na placa com os parafusos.
Lixe todas as arestas, principalmente as dos regletes (evite lesões).
Abra outra long neck... beba.
Coloque 2 chapas de ferro ao lado das ripas e marque a posição dos furos
Fure com uma broca 3/8'.
Fure também os calços na mesma posição e cole-os na parte de trás da placa alinhando os furos.
Abra a terceira long neck... beba.
Alinhe as chapas e a placa e passe as 4 barras roscadas pelos furos colocando uma arruela e uma porca na ponta delas que ficaram na parte da frente da placa.
Encaixe a placa na viga (2 barras por cima e 2 por baixo) e encaixe as outras duas chapas nas barras por trás da viga. Coloque as arruelas e porcas restantes e aperte.
Abra a quarta long neck e comemore.

OBS: Não comece a treinar se estiver bêbado. O treinamento de finger acompanhado de bebida pode causar lesões.

Agora faltaram só as pinças e abaulados que eu vou fazer de madeira e colocar dos lados.

23 de ago de 2009

Um senhor elogio

εïз Dani εïз diz:
vc velho????????????
não fala isso que perco a esperança na humaninade......

gibara_ diz:
AHAHAHAHAHAHAHA pq?

εïз Dani εïз diz:
Ué...pq pra mim vc é sinônimo de movimento...animação...juventude...
o que me fez acreditar que nem todo homem é um legume
ahahhahahaa



Desenterrei isso do histórico, me colocou um sorriso no rosto.

18 de ago de 2009

Full contact


Contato físico é a maior demonstração de quanto uma pessoa está confortável em estar ao seu lado, do quanto ela te quer perto. Quer saber se alguém gosta de você? Toque nela e veja se ela te toca de volta.

Tão gostoso quando um amigo apoia o cotovelo no seu ombro, sem motivo aparente, mas que é suficiente pra demonstrar que ela está deliberadamente enconstando em você. Quando uma pessoa que você gosta "esbarra" o braço no seu em cima da mesa e deixa ele lá para esbarrar mais vezes. Ou quando uma amiga passa os braços por baixo dos seus e te dá aquele abraço por trás quando você não está esperando, na hora vem aquele "WHATAF..." e meio segundo depois "Hmmm..." e você aperta os braços dela, que estão na sua barriga, pois é a única coisa que dá pra fazer, mas que dá aquela vontadezinha de que seus cotovelos pudessem virar ao contrário pra retribuir o abraço. Isso sem falar no clássico abraço, que é uma troca de energia espetacular.

Distribua abraços àqueles que você gosta, troque energias positivas, sem vergonhas... faz qualquer um se sentir bem.


Se puder, aproveite e morda também.

5 de ago de 2009

Musica é vida

Se tem uma coisa sem a qual eu não vivo é música e, na verdade, eu não acho que exista um único indivíduo que "não goste de música". Exitem uns que gostam mais ou menos, mas a música é algo intrínseco do ser humano.

Está dentro de nós e é uma linguagem universal. Você pode ouvir música em qualquer língua e ser capaz de entender e julgar se te agrada ou não, você pode ouvir uma música que não tenha palavras e compreender as sensações do compositor ao escrevê-la... ou ainda mais, você pode fazer música sem estudar absolutamente nada sobre ela. É algo natural.

27 de jul de 2009

Que graça teria?

"If I were a king
If I had everything
If I had you and I could give you your dreams
If I were giant-sized, on top of it all
Then tell me what in the world would I go on for"

24 de jul de 2009

Companhias

Li a frase no blog do Nicho, curti absurdo... não tanto pelo final, mas mais pelo começo.

"Fique longe de pessoas que menosprezam suas ambições. Pessoas pequenas sempre fazem isso, mas as realmente grandes fazem você sentir que, também, pode se tornar grande"
Mark Twain

23 de jul de 2009

Avursemo-nos

Pois ser avurso é:
.não nos preocuparmos demais
.não esperarmos demais
.não temermos demais
.não querermos demais
.não nos angustiarmos demais
.não dependermos demais
.não precisarmos demais
.aproveitarmos o que temos demais
.curtirmos os amigos demais
.sermos felizes demais

8 de jul de 2009

Train of Thought

Everybody's got mixed feelings.

Turbilhão de sensações e pensamentos. Morar há poucos meses em uma cidade e já ter emoções para lidar e ao mesmo tempo ter sensações antigas voltando a tona... é bizarro.

Mas, sinceramente? Não posso dizer em momento algum que não gosto disso... faz qualquer um se sentir VIVO!!!

29 de jun de 2009

Shake me like a monkey



The thing I like about you
The way you do what you do
The thing I like about you
God and the devil alone could not have made you up
Two must have worked as one together

So good just want to eat you up
Let me like the real thing
Lick your sticky fingers boy
and sing for your dinner sing

Come on pretty babe make me lose my mind
Everybody get together gonna make love shine

Do you know what it is to feel the light of love inside you?
And all the darkness falls away
If you feel the way I feel then believe we have the answer
I've been searching for tonight
Love me baby love me baby shake me like a monkey
Forever I'm yours

I can't stop thinking about you
Yeah yeah yeah
Why would I want to
I like coffee with toast and jelly
But I'd rather be licking from your back to your belly
I think that I'm going to

[...]

Cigarettes and coffee broken heart and being lonely
Little girls and ponies are the things that go together
Yes and no you have to choose Romeo and Juliet the hangman and his noose
You and me would go together

Kiss Kiss make a wish
Hope that it comes true
But I ain't waiting for the world to change
Gonna change the world for you

Come on pretty baby make you lose your mind
Everybody get together gonna make love shine

[...]

Come on everybody make me lose my mind
Everybody get together gonna make love shine

26 de jun de 2009

"vete a buscar lo que te haga feliz"

“Hola Aitana, me llamo Josep Mascaró y tengo 102 años.

Soy un suertudo. Suerte por haber nacido, como tú, por poder abrazar a mi mujer, por haber conocido a mis amigos, por haberme despedido de ellos, por seguir aquí.

Te preguntarás cuál es la razón de venir a conocerte hoy, es que muchos te dirán que a quien se le ocurre llegar en los tiempos que corren, que hay crisis, que no se puede. Esto te hará fuerte, yo he vivido momentos peores que éste, pero al final de lo único que te vas a acordar es de las cosas buenas.

No te entretengas en tonterías, que las hay, y vete a buscar lo que te haga feliz que el tiempo corre muy deprisa.

He vivido 102 años y te aseguro que lo único que no te va a gustar de la vida, es que te va a parecer demasiado corta.

Estás aquí para ser feliz.

23 de jun de 2009

Cale-me

A idéia de não saber o que vai acontecer pela frente me dá um friozinho gostoso na barriga que é ainda mais confortado por algo que para uns pode ser desconfortante, que é o simples fato de não haver como saber... simplesmente porque eu NÃO QUERO saber.
Nada mais delicioso para um Supervivente que ser arrebatado pelo inesperado e ser surpreendido. Sentir essa sensação de "jamais imaginaria que isso fosse acontecer" e de alívio pelo inimaginável ter acontecido, por mais uma vez o previsível ter perdido a batalha.

Você me achar interessante e não fazer idéia de que eu noto você. Reciprocidade insignificante diante das barreiras e circunstâncias, mas com o poder ainda maior de surpreender em um futuro, espero, não tão distante.

Espero sem querer saber por hora, pois agora me basta conhecer e imaginar se toda essa comoção tem valor. Para depois olhar em olhos claros, transparentes e vidrantes com um toque de desespero e fazê-lo aparecer por trás de uma franja lisa para tentar decifrar algo. Alizar levemente um queixo delineado enquanto me aproximo lentamente com o medo de ter sido precipitado, enquanto luto com minha mente procurando palavras sem sentido para evitar o silêncio com medo que este seja desconfortável, mas apenas até que este silêncio seja tudo o que eu queria ouvir. E que então me cale com um beijo lento, longo e surpreendentemente macio.

22 de jun de 2009

Friendship

Understand that friends come and go, but for the precious few you should hold on. Work hard to bridge the gaps in geography and lifestyle because the older you get, the more you need the people you know when you were young.

19 de jun de 2009

Sobre uma(s) paixão(ôes)

Eu poderia pensar que nadei e morri na praia com você... pelos carinhos que te dei, pelos pensamentos que lhe dediquei, pelos presentes nos quais despendi tempo bolando e não tive a oportunidade de lhe dar, etc.
Eu tentei, eu quis, eu me apaixonei... me deixei gostar de você. No final não deu certo, não foi do jeito que eu imaginei que seria, mas pior seria não ter "nadado", pior seria não ter passado por isso e ficar pensando como seria nadar naquelas águas, pois foram braçadas muito gostosas. E não, eu não acho que morri na praia, eu só não cheguei na praia que eu queria e se não dá pra chegar nessa praia eu vou continuar nadando em outra direção.

Seja qual for a direção que você resolva nadar, eu só espero que tenha sido bom nadar comigo.
Beijos.


Alguns médicos que dizem que a paixão é uma doença. Você se apaixona e adoece, fica viciado, precisa daquilo e se não tem fica sem fome, se sente pesado ou tem vontade de chorar, gritar, bater ou o que for... como uma droga. Passado o vício toda a sua percepção muda e você se cura, dando espaço para novos sentimentos emergirem.
Se, quando a cura chega, você se afastou da pessoa, vem o alívio e sensação de liberação, percebendo como estava doente e seu julgamento estava prejudicado e o quanto aquilo foi uma tempestade em um copo d'água.
E se você continua com a pessoa, apenas após curado da paixão, surge o amor. Após o vício e a euforia terem desbloqueado sua visão e você realizar que ainda assim é daquilo que você precisa e quer.

Já tive muitas paixões, umas mais fortes, outras mais brandas, umas mais longas e outras curtas. As paixões moldam o que somos emocionalmente, destroem partes, constroem outras... lapidam nossos sentimentos, fortalecendo alguns pontos e enfrequecendo outros.

Uma paixão, de certo, vai pensar que é sobre ela por ter sabido, outra vai ter certeza pelas palavras familiares, outra não faz nem idéia de que poderia ser para ela. Mas é para todas e o mais importante é que eu adorei todas e vou adorar todas as outras.

I`m flying high again... finally

17 de jun de 2009

Espontaneidade cardíaca

"Não sei amar pela metade... Não sei viver de mentiras e nem sei voar de pés no chão... Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre... Não me mostrem o que esperam de mim, porque vou sempre seguir meu coração... Não tentem me fazer ser quem não sou e não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente... Vou ser sempre EU mesmo."
(Célio Isaias da Silva)

15 de jun de 2009

Back to me

Enfim sentindo a deliciosa sensação de fazer as coisas que eu gosto: voltar a escalar, pedalar e viajar. E mais ainda, voltar a não me preocupar muito com "o que fazer", "como fazer", "por que fazer", etc.


"Um dia é preciso parar de sonhar e, de algum modo, partir"
(Amyr Klink)


Depois do primeiro gostinho de escalar no fim de semana passado, esse fim de semana fiz minha primeira rock trip desde o acidente (pelo menos a primeira que eu fui pra escalar mesmo). Uma viagem que tinha tudo pra não acontecer acabou sendo uma das melhores, com escalada, bons amigos, novos amigos e muita risada.

Há algumas semanas os amigos estavam me convidando para ir pra São Bento nesse feriado, mas eu desde o princípio disse que não ia, pois teria que visitar Sr. Gilson e Dona Virginia. Acabou não rolando a viagem para o Rio e eu ponderei a possibilidade de ir pra São Bento... vi horário que a negada ia sair de Campinas, não batia com os horários de ônibus, depois vi de ir até Sampa e ir pra São Bento com a Dani e o Thunder, mas também não rolou passagem, além da grana que iria gastar para fazer isso. Já tinha colocado na cabeça que não ia e fui pro bar com o Bonon, mas voltei pra casa e aquela inquietude me consumia.

Eu: "Bonon. Acho que eu vou sozinho de carro pra São Bento".
Bonon: "Você tá louco!"

Arrumei as coisas e coloquei o despertador para 4h30. Quando ele tocou me veio na cabeça "Será que é muita loucura?"................. "Não, loucura é passar o fim de semana em Uberaba sem fazer nada". Entrei no carro e fui, assim: AVURSO!.

Mais que uma boa viagem com MUITA risada, muito chorume, boulder urbano e da mesa, bons amigos, a brincadeira do "Eu nunca" deveras comprometedora... horas de momento comigo mesmo por estradas animais e, praticamente, desertas. Inventei de seguir o GPS muito louco e depois de ganhar um mapa da viatura do DER me aventurei a "descobrir" um caminho pra São Bento por estradinhas pouco movimentadas por dentro de Minas, o que acabou fazendo da viagem bem mais barata e bem menos cansativa. ANIMAL!
Sensação gostosa de pensar "Meu, pensa menos e faz o que tá com vontade de fazer" e de sentir que conseguiu fazer isso. A sensação boa que é estar bem e sentir uma amarra se soltar novamente... de voltar a fazer as coisas que eu gosto.

Primeiro dia do feriado e começo do segundo:


Segundo e terceiro dia:


Pra não esquecer:
. Fiada
. Jotinha
. João Ricardo, a rocha
. Gibara, a falésia
. The Rock
. Valdisnei, muleque do caraio
. Mamba negra, "Ái que susto!"
. "Eu nunca tive um orgasmo, tive? Gibara?"
. Boulder do Crube, second ascent
. Highball do Crube, first ascent
. Boulder da mesa e da cadeira
. Hiroshima, Nagasaki e Cesio 137
. Tsunami
. "...eu não comi camarão ontem. De onde veio esse camarão?"
. "Gibara, deixa eu manter o tiquinho de dignidade que me resta"

4 de jun de 2009

No more waiting

A saudades estava me matando, mas agora é hora de matá-la. Chega de esperar.

Lá vou eu pra Campinas, rever amigos, rever pessoas e... e... e... ESCALAR!
Sábado pra Sampa e voltar e domingo... Visual.

YEAAAAH, BABY!

2 de jun de 2009

Far Far



Uma música gostosa... dá uma sensação de paz.

1 de jun de 2009

Three sides to every story

Diz o ditado que toda história tem 3 lados: o meu, o seu e a verdade.

A verdade MESMO a gente nunca sabe, de fato, qual é... até porque a verdade acaba se tornando algo relativo, mas é muito bom ouvir a história de um outro lado e enxergar as coisas por outra perspectiva.
As vezes ficamos tão envolvidos com alguma coisa que é impossível analizar a situação pelo alto, mas a sensação de clareza, quando vem, é reconfortante.



Enquanto isso:
Exatamente UMA SEMANA me separam de voltar a escalar. A foto de cima é da primeira vez que escalei na minha vida, no Visual das Águas... e dia 7 de junho eu volto para o Visual das Águas para escalar pela primeira vez depois do acidente, no primeiro lugar que escalei na minha vida E TAMBÉM com o primeiro amigo que escalei na vida.
Não poderia ser um lugar melhor para um retorno tão esperado. Um lugar que conheço bem, me sinto em casa e sei o que fazer.

Mal posso esperar, rever amigos e algumas pessoas especiais e ESCALAR!!!
AAAAHHHHHH!!!


Eu escalando "Água que passarinho não bebe" e Lucão, antes de eu conhecê-lo, escalando "Água mole"... domingo estaremos lá juntos novamente, mas escalando juntos.

27 de mai de 2009

Train wreck

No regrets

"A cada dia mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional.
Fé é colocar seu sonho à prova!"

Carlos Drumond de Andrade


Pra mim, não existe "nadar e morrer na praia" no que se diz respeito a experiências de vida. Um relacionamento que você se dedicou e no fim não deu certo, uma viagem que você resolveu fazer e não foi boa como esperava, uma decisão que te levou a caminhos diferentes do que você pretendia ou qualquer outra coisa. Toda experiência é válida, com elas nós aprendemos, crescemos, tentamos agir diferente com coisas que nos incomodam ou repetimos as tentativas que nos trouxeram bons frutos.

Claro, muitas vezes ficamos nos sentindo um pouco mal, principalmente quando criamos espectativas em relação às coisas, mas com certeza alguma coisa sempre aprendemos com tudo isso.

"Um dia é preciso parar de sonhar e, de algum modo, partir"
Amyr Klink

26 de mai de 2009

Sem perder tempo.

Vi no Trendi House Pepsi




Passa rápido demais, então não perca tempo... esteja com quem você gosta, faça as coisas que você gosta, realize seus objetivos.

É claro que vivemos em sociedade e em um mundo capitalista, então temos que cumprir com obrigações e responsabilidade, mas como diz o ditado: O que não tem solução já está resolvido. Então percamos menos tempo nos "pré-ocupando" e mais tempo realizando coisas que nos engrandeçam e/ou nos tragam prazer.

E TENHO DITO!

16 de mai de 2009

Gone people, all awkward with their things

Nada disso importa. Importam as amizades, as sensações, os valores e, principalmente, as emoções e como nos entregamos a elas.



Well look at all those fancy clothes
But these could keep us warm
Just like those.
And what about your soul
Is it cold
Is it straight from the mould
And ready to be sold.

And cars and phones and diamond rings
Bling, bling
Those are only removable things
And what about your mind
Does it shine or
Are there things that concern you more
Than your time

Gone going
Gone everything
Gone give a damn
Gone be the birds when they don’t want to sing
Gone people
All awkward with their things
Gone

Look at you out to make a deal
You try to be appealing but you lose your appeal
And what about those shoes you’re in today
They’ll do no good
On the bridges you burnt along the way

You’re willing to sell anything
Gone with your herd
Leave your footprints
And we’ll shame them with our words

Gone people
All careless and consumed
Gone
Gone going
Gone everything
Gone give a damn
Gone be the birds if they don’t want to sing
Gone people
All awkward with their things
Gone

Just a good song

And that's what it's all about.

15 de mai de 2009

Let go

In a room filled with dried tears of sorrow
You come in and lay down by my side
When you feel the same way tomorrow
'Cause you smile just as easy as you cry

Was it wrong to be good to you
Was it wrong to be your man
'Cause I ain't getting through to you
And i've done all I can to make you understand

Chorus:
And my heart just keeps on bleeding
From the hole that drains my soul
And if I can't kill the feeling now
How do I, oh I, let go?

Time only heals when it wants to
I guess that's why I just can't get you off of my mind

Yeah, when the walls come down between us
Will you be on the other side?
If you say you didn't need it
I will let you right back in for the rest of my life

Chorus 2:
Only you can stop the bleeding
From the hole that drains my soul
And if you can't kill the feeling now
How do I, oh I, let go?

12 de mai de 2009

Here I go again

"I've made up my mind, I ain't wasting no more time"

7 de mai de 2009

A pleasant evening, after all

AAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHH, QUE DELÍCIA!!!
VOLTANDO A FAZER AS COISAS QUE EU GOSTO!

São 21h50 e eu acabei de chegar em casa... onde eu estava?
PEDALANDO!

Mais de 3 meses depois do acidente passando 2 meses e meio ABSOLUTAMENTE sendentário, foi uma sensação maravilhosa chegar em casa, trocar de roupa e levar a Neide para passear. A Neidoca passou 2 meses torta, de cabeça pra baixo na sala de casa e depois 1 mês e meio consertadinha, limpinha, reguladinha... só esperando o dia que eu pudesse levar ela pra dar uma voltinha.

Tudo bem, foi uma voltinha curta, só pra sentir o gostinho e voltar aos poucos.
Deu um medo da porra, cada carro que passava eu fechava o olho e pensava "Ái!" daí eu pensava "ABRE O OLHO, IDIOTA!"... e assim foi pelos 16km. Aquela vontade de pedalar sem as mãos denovo, de pedalar bem rápido, de pegar uma descidona. Mas ainda não dá pra arriscar, não adianta querer tudo de uma vez.

Eu mal lembrava da sensação de dar um pedalzinho à noite, foi bom demais... aos poucos tô voltando.
Mal lembro também da sensação de escalar, não vejo a hora de colocar uma sapatilha bem apertada, me encordar, passar mag nas mãos... PUUUUUTA QUE PARIU!!! QUE VONTADE!
Mas falta pouco... falta pouco.

Obrigado pelo passeio, Neidoca!

6 de mai de 2009

Sublimação

Como as relações se esvaem.

Como alguém fala belas coisas para você em um momento e algum tempo depois não se fala mais.

Como uma pessoa que uma hora é tão importante pra você e vice-versa passa a ser um mero conhecido.

Como uma pessoa que você confia e considera irmão passa a ser uma pessoa que você não quer mais ver na frente.

...muito rápido. Em questão de dias, horas ou mesmo uma fração de segundo.

4 de mai de 2009

Let it rise

"O instinto nos homens enfraquece à medida que a sua razão cresce, vigora e se desenvolve."
Marquês de Maricá


Não sei quanto aos outros, mas pra mim, um legítimo, imediatista e 100% emoção capricorniano que sou, não há pior sensação do que se sentir acorrentado pela razão.
A sensação de ser puxado para trás pelos próprios pensamentos... de não conseguir tocar algo belo que está a 2 milimetros de seus dedos, como uma criança LOUCA pra ir brincar, inquieta, mas que ainda não terminou a lição de casa.
Uma das piores sensações na vida, que eu a cada dia tento me livrar mais... a de ficar angustiado por não fazer algo que se quer muito quando a única coisa que o impede de fazê-lo é você mesmo.

Se deixar fazer refém da razão é se aprizionar dentro de si mesmo.


"Somos aquilo que sentimos e percebemos. Se estamos zangados, somos a raiva. Se estamos apaixonados, somos o amor. Se contemplamos um pico nevado, somos a montanha. Ao assistir a um programa de televisão de baixa qualidade, somos o programa de televisão. Enquanto sonhamos, somos o sonho. Podemos ser qualquer coisa que quisermos, mesmo sem uma varinha mágica."
Thich Nhat Hanh

27 de abr de 2009

Scarred



Estava pensando em pessoas que são importantes pra mim hoje e pessoas que foram importantes para mim um dia. Comecei a viajar sobre como a forma que alguém é importante para você muda conforme o tempo passa.
Muito louco pensar nas pessoas importantes que passaram pela sua vida e deixaram sua marca em você e pirei tentando imaginar as pessoas pras quais sou importante, pras quais já fui importante e nas quais deixei uma marca. Essa marca pode ser por uma atitude boa que te surpreendeu ou pode ser por um voto de confiança que você deu e foi "taken for granted", mas agora estou falando só das coisas boas.

Pensar na minha primeira namorada, ou pensar em uma menina virgen de quem fui o primeiro... pensar em alguém que me ensinou algo que uso ou penso até hoje... pessoas com quem, as vezes, nem tenho mais contato e essa pessoa nem sabe o quanto ela me mudou, as vezes EU nem sei o quanto mudei alguém que pode estar pensando em mim neste exato momento. Pode ser um contato muito breve com alguém, mas que é tão intenso que acaba nos marcando para sempre... ou pode ser algo que vai aumentando com o tempo e quando você se dá conta você já faz parte da vida de alguém e vice-versa e de repente um vira pro outro e fala "Cacete, como é que a gente ficou tão amigo assim?"... e nenhum dos dois sabe a resposta. As vezes você pensa "Caramba, tenho tanto carinho por tal pessoa, será que ela pensa o mesmo?".
Será que esse tipo de coisa é sempre recíproco?

É uma sensação muito gostosa pensar que você marcou a vida de alguém (quando é algo bom), é muito gostoso imaginar alguém que te admira e tem carinho por você. E é MUITO LOUCO imaginar que LÁ NA FREEEENTE, quando essa pessoa estiver morrendo ela pode lembrar de você, de algo que você ensinou, algo que você falou e que essa pessoa só é exatamente daquele jeito pq você passou pela vida dela.

Seja importante para as pessoas... cultive as pessoas que são importantes para você.
In the end, it's all that matters.

21 de abr de 2009

Nos acrécimos do juiz

Depois de fazer o teste de quantos pivetes eu poderia dar cabo, agora é o contrário.

Sem armas, sem andadores ou bengalas... quantos vôs e vós eu seria capaz de derrotar numa super briga dentro de um asilo:

How Many 90 Year Olds Could You Take in a Fight?

Anti-ético? Certamente.

17 de abr de 2009

...acabou o descanso pra encontrar a cura

É massa quando nossos planos mudam de uma hora pra outra. Por motivos diversos, mas "mudança" é, geralmente, algo bom e traz ótimas experiências.

Resolvi fazer uma sessão de matoterapia.

Travessia: Lapinha - Tabuleiro


13 de abr de 2009

Second guessing first impressions



Um mês quase completo em Uberaba, um mês desde meu último post.
Demorei demais para escrever algo sobre minhas primeiras impressões da cidade, das pessoas e da nova experiência, mas after second guessing first impressions é possível falar algo menos genérico a respeito dessa mudança.

Me disseram uma vez:
“Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena!”


A idéia de mudar, não só de cidade, mas também de estado, já me assustou bastante, na hora da decisão o medo quase me paralizou e eu quase peideeeeeeeei. Mas eu consegui, lutei contra a inércia, encarei o crux, chacoalhei os braços, passei mag e toquei.
O medo não passou de imediato, eu não sabia o que esperar e muito menos o que ia encontrar de fato, mesmo que as primeiras impressões fossem muito boas.

Fato é que era impossível imaginar que eu encontraria o que encontrei aqui.
Morar com amigos é como viajar e alugar uma casa só para os amigos, a única diferença é que a gente trabalha durante o dia. Fazer várias coisas juntos estreita muito a amizade e sem sombra de dúvidas aumenta MUITO a quantidade de risadas diárias.
O trabalho tem um ritmo diferente do que estava acostumado, o volume de trabalhos é menor, mas o principal é o crescimento de ter autonomia e ser efetivamente responsável pela criação da agência.
Seria impossível pra mim pensar que uma cidade com bem menos opções de coisas para fazer me faria sentir em casa e que ficar em casa a noite com os amigos pudesse ser de fato o que eu queria fazer mais que qualquer outra coisa e que aprenderia com eles sobre tanta coisa, até sobre minha própria família.
Impossível imaginar em tão pouco tempo conhecer pessoas especiais de quem sentir saudades, que pudessem tornar mais suportável a falta dos amigos de Campinas e muito mais agradável o tempo longe deles (os de verdade, claro). E alguns realmente fazem uma puuuuta falta.

De forma menos profunda:
A cidade é bem gostosa de se morar e tem um clima gostoso, só chove com muita frequência. O povo é MUITO gente boa e receptivo, o sotaque é muito gostoso. As mulheres aqui são bonitas, são simpáticas e, o principal, são muitas, HAHAHA. É o paraíso dos solteiros, apesar de eu não estar aproveitando a cidade nesse aspecto, por motivos bem melhores hehehe.
Me desculpem-me, mas Uberabense DIRIGE MAL PRA CARALHO e as pessoas parecem achar que as faixas amarelas do estacionamento são enfeites, pois 50% simplesmente as ignora e param na diagonal mesmo. Bom, o que se poderia esperar de uma cidade em que a auto-escola ensina a balançar o braço pra fora do carro na hora de estacionar? o.O
Espetinhos são a mania dos barzinhos da cidade e tem uns muito bons, pricipalmente o de pernil à pururuca do Recanto... com uma cervejinha... NUH!!! Bom demais.
Ao mesmo tempo que é estranho andar na cidade e não conhecer ninguém, sendo que em Campinas eu conhecia bastante gente, é um pouco claustrofóbico saber que MUITA GENTE já sabe quem eu sou, o que estou fazendo, com quem estou saindo, etc.


Claro que muitas dessas segundas impressões podem e irão mudar com o passar do tempo, aliás hoje em especial estou second guessing algumas first impressions e continuo aprendendo com algumas pessoas de formas boas e ruins. Mas o mais gostoso está sendo aprender com pessoas novas de formas novas.

Em resumo, do mesmo texto da citação de cima:
"Os riscos devem ser corridos, porque o maior perigo é não arriscar nada. A pessoa que não corre nenhum risco, não faz nada, não tem nada, não consegue nada e não é nada. Ela pode até evitar sofrimentos e desilusões, mas não sente, não muda, não cresce, não ama, não vive. Acorrentada por suas atitudes, ela torna-se escrava e priva-se da liberdade”


Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena!

PS: Quero escalaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaar!

12 de mar de 2009

...or has it just begun

Rapha,

Que legal !!!!
Mais uma experiência na sua vida!
E depois tem mais e mais e novos endereços virão...
Esses são os degraus para se chegar onde se quer...
A escalada é longa e maravilhosa se assim a fizermos...
E o melhor é que não tem fim!!!!!

Beijo,
Lucy



Nova jornada começando em 2...

11 de mar de 2009

Press reset button

Tem horas que algumas coisas cansam...
Coisas como correr atrás de uma mulher tentando demonstrar que gosta sem reciprocidade, ou como tentar rever amigos que não se esforçam para se encontrar, ou como um projeto que parece nunca ter fim e nunca ser satisfatório, ou coisas que, por vezes, te impedem de ser você mesmo... ou uma dor FILHA DA PUTA no braço que, literalmente, te vence pelo cansaço; não porque é intensa, mas porque ela está sempre lá ENCHENDO O SACO!

Algumas coisas estão me cansando esses dias como o trampo que dá mudar, mas é por ótimos motivos e já já acaba, não é algo interminável, mas, principalmente, cansei DESSA PORRA DESSA DOR que me impede de fazer as coisas que eu gosto.

Tá na hora de apertar um resetzinho e o jantar de ontem me libertou um pouco do amarra de não conseguir ser eu mesmo... foi muito gostoso. Pena que não se repetirá com a frequencia desejada, mas também não é problema.

Caralho, como eu tô empolgado com essa mudança. As correrias pra mudar já estão me cansando também, mas acabam em 3 dias.

4 de mar de 2009

About changes


Essa música é muito fodástica pro momento... cada linha, parece até que eu que escrevi.

Evolução é nada mais que um conjunto de mudanças e adaptações que tornam alguém ou algo melhor ou mais apto, sejam essas mudanças genéticas, comportamentais, inesperadas, planejadas, lentas ou rápidas.
É impossível evoluir sem mudar... evoluir É mudar.

Quando estava ainda decidindo se iria pra Uberaba, minha mãe me falou algo muito interessante (não sei se exatamente com essas palavras):
O medo do incerto paraliza e deixa a gente acomodado no que é certo. Não deixa o medo te paralizar, senão você nunca muda.

Toda mudança traz inconvenientes (entregar apartamento, pintar, arrumar mudança, arrumar casa nova, encaixotar, desencaixotar, cancelar TV a cabo, alterar cadastros de endereço, GASTAR, etc), mas também traz muitas coisas boas e eu tô ficando não só ansioso, mas cada vez mais empolgado com essa mudança.
Depois de 15 anos morando em Campinas, além de mudar de cidade e começar a conhecer outro tipo de pessoas, bem diferentes dos campineiros que estou acostumado a lidar, vou mudar também de estilo de vida. Um filho único que sempre morou com os pais e teve tudo e em seguida passou a morar sozinho tendo todo o espaço para si... vai ser BEM diferente dividir uma casa com mais 3. Mas não posso nem esperar para morar junto com os atroooooooooooooooooooooooooozes, vai ser demais. Além disso, vou chegar lá numa mudança de rotina (temporária, claro), pois além de tudo que já estará diferente eu ainda por cima não vou poder escalar por alguns meses. Isso significa: Role Play every day, mas também já planejei a construção do meu campus board lá e assim que tiver liberação médica... seguuuura que eu vou treinar igual um condenado e voltar com tudo.

Uma coisa muito gostosa foi ouvir das pessoas demonstração de que realmente vão sentir minha falta e que queriam continuar junto de mim, mas ainda assim apoiaram a minha mudança por saberem que seria algo bom pra mim. Acho que é como uma espécie de eutanásia... HAHAHAHA. Mas eu volto com frequência.

Bora pra lá... "make the best of what's around".

E que venham as festas de despedida HAHAHAHA. A viagem pra SBS foi a primeira e já foi triplo X... apesar da tortura de não poder escalar.

1 de fev de 2009

Full circle

É muito massa ter a consciência de que se está SEMPRE em processo de evolução e aprendizado. Ver que sempre se aprende ou se muda de opinião, até mesmo em relação a coisas que deveriam ser básicas de se saber ou de se ter uma posição sobre (olha o prolíxo falando denovo).

Depois desse acidente me decepcionei muito com algumas pessoas e me surpreendi muito positivamente com outras. Muitas pessoas que eu achava que seriam as primeiras a ligar e/ou visitar quando ficassem sabendo se contentaram em receber notícia pelos outros. Em contrapartida, algumas pessoas me surpreenderam ficando realmente preocupadas comigo e, principalmente, se querendo meu bem estar e minha recuperação mais rápida possível (até levando guloseimas para mim, hehehe). Algumas outras pessoas me surpreenderam de outra forma, pois eu esperava que fossem dos primeiros a ligar e se preocupar, e foram, mas foram muito mais que isso... o que trouxe uma sensação muito boa.

Mas no final das contas, o que eu me toquei é que talvez eu não deva esperar muito dos outros, talvez eu não deva depender da ajuda dos outros ou usar os outros como faotr para tomar decisões... e o que vier de bom é lucro.


Nunca se é velho demais pra aprender... e nem novo para ensinar, "so it seems".

"therefore be islands unto yourselves" alguém uma vez me disse, e quando ouvi isso me pareceu besteira, me pareceu deveras solitário ou meio anti-social... mas agora começa a fazer muito sentido, principalmente na nova bifurcação que ACABOU de aparecer na minha frente.

PS: Obrigado, "Pessoa", por me ensinar várias coisas.

29 de jan de 2009

See you later

Um fim de semana sem e já tô com saudades de escalar.

Depois de um episódio, sem dúvidas, marcante com direito a lapso de memória e osso "bagaçado", fica um sentimento de medo.
Além dá óbvia insegurança de ter dor e nenhum movimento em um dos braços, duas coisas realmente deixam um pouco de medo.

O medo da "bagaça não grudar direito" e isso me impedir de escalar direito no futuro e mais ainda o medo dos malditos quelóides. O corte da cirurgia é gigante, e, não bastasse ele, há também a escoriação no bíceps... meu, se tudo isso fizer quelóides como os que eu tenho nas costas, meu braço vai ficar MUITO FEIO.
Eu não ligo muito para cicatrizes, mas realmente não quero isso.

Sorte eu já tive de só ter quebrado um osso, só resta torcer pra que ela se extenda.
:/

24 de jan de 2009

Friends

Quem tem amigos, tem tudo.

Panguinha, MUITO OBRIGADO POR TUDO!!!
Não sei o que seria de mim ontem sem sua ajuda.

22 de jan de 2009

Grey Street



Conversando sobre DMB ontem a noite quando fui deixar a Paulinha, que NÃO CONHECIA DMB, comentei sobre como essa banda é indescritivelmente do caralho. Voltando pra casa ouvindo DMB e dando voltas aleatórias só para ouvir mais uma música comecei a viajar sobre uma possível "melhor música deles", cheguei à óbvia conclusão de que é impossível eleger somente uma, PORÉM... se eu fosse OBRIGADO a fazer isso, se alguém colocasse uma arma na minha cabeça e dissesse "ESCOLHE UMA OU MORRE" eu ainda teria que pensar um bocado, mas certamente Grey Street seria uma forte candidata.

Muitas músicas são DO CARALHO pela letra, muitas pela melodia ou pelos arranjos e algumas, como essa, são DO CARALHO pelo conjunto: Letra animal, melodia "catchy", arranjo retardados... enfim...

"There's a stranger speaks outside her door
Says take what you can from your dreams
Make them as real as anything
Oh It'd take the work out of the courage"


Não preciso nem falar que ela está no repeat, né?

20 de jan de 2009

Os melhores álbuns de 2008

Os álbuns mais animais e/ou que eu mais ouvi em 2008. Aqueles álbuns que são inteiros animais e que você deixa no repeat até começar a enjoar deles. Daí você propositalmente passa um tempo sem ouvir, pra sentir falta e depois VOLTA A ESCUTAR SÓ ELE NO REPEAT.

Claro que com minha super memória eu vou esquecer de algum, mas os mais mais foram:


Harem Scarem - Harem Scarem



Disturbed - The Sickness



Evergrey - Monday Morning Appocalypse



Nizlopi - Half These Songs Are About You



Kenny Wayne Shepherd - Trouble Is



Dave Matthews Band - Under The Table And Dreaming



O Teatro Mágico - Entrada Para Raros



Metallica - Death Magnetic



Jonny Lang - Wander This World



John Mayer - Continuum

16 de jan de 2009

Ascossanssim

Maluco, hoje tá foda. Malditos sejam os escaladores na balada.
Ascossanssim, né?

Estou me sentindo ASSIM:


F: Salve, salve!

G: Fala meu djovem, tá bão?

F: Cara, deixa eu te perguntar uma coisa?

G: Manda.

F: Qual a sua vontade, capacidade e disponibilidade juntar o máximo de grana por 4 anos e então vender seu carro, comprar um Land Rover, largar tudo e passar um ano viajando?

G: Caralho...

F: ...

G: ...

F: ...

G: Posso passar uns dias pensando nisso?

11 de jan de 2009

Endorfina vicia

L: E aí "lok", beleza?

G: Tranquilo, e tu?

L: Massa. Ow, lembra que falei que comprei uma corda nova? Tô com a outra aqui pra pôr pra jogo.

G: Como assim?

L: Tá afim de armar um rope swing?

G: Nossa muleque, demorou!

L: Ah, que massa, tinha certeza que tu ia topar. Vamos marcar um dia desses então?

G: Ué, vamos fazer amanhã a tarde.

L: AAAAAAAHHHHHH MULEQUE!!!!!! SABIA QUE EU TINHA LIGADO PRO CARA CERTO!!!

G: HAHAHAHAHAHA OU PRO CARA ERRADO!





Descobri que endorfina é viciante. Depois de voltar de uma viagem animal eu passei segunda, terça e quarta totalmente sedentário e REALMENTE fiquei meio que deprê, comecei a pensar em um monte de coisas e ficar de bode com algumas. Quarta-feira resolvi correr no taquaral com o Miguel e UFA, aliviou muito a tensão. Sexta-feira eu PRECISAVA fazer algo denovo, então pedalei antes de dar uma saidinha que foi revigorante.
Sábado, acordei as 6h30 da manhã, pilhado pra pedalar. Pedalei 37k, terminei trincando os dentes e querendo mais... então a tarde fui fazer um "ropezinho" com o Lucão, o Guto, o Robson e a Panguinha.

MALUCO, que delícia... nada como uma leve descarga de adrenalina no sangue.
Será que estou viciado? Só sei que QUERO MAIS, PRECISO DE MAIS!!!

7 de jan de 2009

Nuttin' Fancy

Não quero nada chique.

Não quero usar roupas de marca e muito menos que isso faça diferença para o que pensam de mim. Quero usar uma roupa que seja confortável e caia bem em mim e que talvez tenha alguma frase engraçada, quero entrar num barzinho chique de regata e short de ciclismo sem que me olhem de cima a baixo, quero que ninguém ligue se fiquei com preguiça de me barbear e estou com cara de bandido.

Não quero admirar quem se acha superior, por melhor que esse seja no que faz, ou quem agradece elogios estufando o peito e fazendo cara séria. Quero amizades gostosas, simples e verdadeiras, quero estar perto de pessoas que acrescentem algo e que me façam crescer, pessoas com quem me sinta bem, que queiram aprender comigo e me ensinar muito. Quero estar perdidamente apaixonado por quem está perdidamente apaixonado por mim, que simplesmente tenha vontade de estar do meu lado, pra quem eu seja uma amizade gostosa, simples e verdadeira, para aprender e ensinar.

Não quero "jogar o jogo", não quero ter que fingir que não gosto de alguém pra esse alguém gostar de mim. Quero poder ligar ou mandar mensagem quando tenho vontade sem medo de ser pegajoso, quero poder falar "gosto de você", "queria te ver" e, se possível, ouvir de volta.

Não quero estar com pessoas que me pedem para falar mais baixo. Quero amigos que dêem risada das minhas trapalhadas e estabanadas, que tenham uma vergonhazinha de como eu gesticulo e ilustro as histórias que eu conto no meio da lanchonete, mas mesmo assim não falam pra eu parar.

Não quero um trabalho que me obrigue a me vestir de um jeito padronizado, mas não só isso, não quero um trabalho que me faça desistir do que acho bom e simplesmente esperar pelo meu salário no fim do mês. Quero poder ir de camisa social e calça na segunda, camiseta e bermuda na terça e camisa social COM BERMUDA na quarta, quero um trabalho que me faça querer voltar no dia seguinte, um trabalho que me pague o suficiente para eu viajar todo fim de semana e feriado.

Quero tirar a camisa para tomar um banho de chuva gelada e não um balde de água fria (no sentido figurado), quero pedalar na chuva, quero poder descer para praia de bike.
Quero ouvir música, MUITA MÚSICA SEMPRE e conhecer sempre muito mais, sem me preocupar com rótulos dos estilos ou se a música é brega, apenas escutar a música que me toca, seja pela letra bonita, seja pelo rítmo dançante, pela complexidade teórica ou simplesmente aquela música horrível que você fala "não sei pq, mas eu curto". Quero ouvir música alto no carro e cantar junto fazendo papel de idiota (e eu canto mesmo).

Quero curtir os momentos gostosos do jeito que eles são e simplesmente pq eles são bons, sem PREocupações e sem pensar em consequências... simplesmente ser...

6 de jan de 2009

Começando com a mão direita

Tô ficando cada vez mais sem paciência para postar no blog, mas ano novo vale a pena registrar pra lembrar depois.
Desde o natal até o ano novo e aniversário, esses dias de férias foram ANIMALESCAMENTE animais.

Depois de passar o Natal com família (inclusive a facção bahiana) no Rio de Janeiro, parti para Serra do Cipó para um fim de ano escalando até moer. Como fui de busão, tive que fazer parada obrigatória em BH (até para esperar a Andrezza que foi junto partindo de Barbacena), aproveitando pra dar um alô e desejar um bom reveillon pro Fro e pra Carlinha.

A casa que o Alfredão alugou pra nós no Cipó é SHOW DE BOLA, mordomia total.
Excesso de escalada e risadas até um reveillon diferente de todos que passei. Bagunça na casa de escaladores com direito a queda de braço feminina e tudo, MUITO MASSA. No dia 1, todo mundo escalando de ressaca, HAHAHA.

Dia 2 os presentes de aniversário: cadena da Salsa Punk e fazer a Lamúrias no fim da tarde com novos amigos feitos lá. Mas o mais priceless MESMO foi descer da via no breu, chegar lá em baixo e ganhar um "Parabéns pra você" dos amigos, com direito a brinde com vinho e tudo.

Em meio a descidas de carro em movimento, corridas atrás de caminhão, quilos perdidos, alimentação saudável e amizades construídas... um dos melhores (senão O) reveillons que já tive, onde a única coisa que mudaria seria acrescentar mais alguns amigos importantes.
Uma viagem perfeita para refrescar a mente.

 
Clicky Web Analytics